• 19/12/2014 14:06

    Data: 22/08/2013 20:59 - Por: da Redação

    Imprimir

    Porte de arma para agentes penitenciários é aprovado na Assembleia Legislativa

    Conforme o projeto, o porte de arma de fogo será deferido aos integrantes do quadro efetivo

    Porte de arma para agentes penitenciários é aprovado na Assembleia Legislativa

    Os deputados aprovaram na sessão desta terça-feira (20), na Assembleia Legislativa, projeto de lei nº 1007/13 de autoria do deputado Hermínio Coelho (PSD) no qual dispõe sobre o porte de arma de fogo aos integrantes do quadro efetivo de agentes penitenciários do Estado de Rondônia. O projeto altera e revoga dispositivos da Lei nº 2775, de 11 de junho.

    Conforme o projeto, o porte de arma de fogo será deferido aos integrantes do quadro efetivo de agentes penitenciários do Estado de Rondônia. A concessão deferida aos integrantes do quadro efetivo de agentes penitenciários autorizará o porte de arma de fogo, ainda que fora de serviço, em todo o Estado de Rondônia, devendo sempre ser conduzida com o respectivo Certificado de Registro de Arma de Fogo e com a Carteira de Identidade Funcional.

    De acordo com Hermínio Coelho, o objetivo principal é a alteração da Lei n° 2.775, de 11 de junho de 2012, especificamente no artigo 2°, relativo à vigência da lei que estabelecia o porte em todo o território nacional, por que isto foge da competência desta Casa, uma vez que o artigo 24 da Constituição Federal em seus parágrafos 1°, 2° e 3° dá competência ao Estado para legislar concorrentemente com a União, dentro do seu limite territorial para atender a suas peculiaridades. “A alteração se faz necessária, até porque, exatamente por esse motivo, o Poder Executivo está arguindo a sua inconstitucionalidade”, justificou.

    Para o parlamentar, é importante esclarecer que as atividades que os agentes penitenciários realizam, objetivam a guarda, vigilância, custódia, escoltas, apresentações judiciais, revistas, triagem de pessoas, disciplina e distribuição de presos nas celas, o que os tornam expostos, levando-os ao risco de morte, sendo necessária a proteção à sua integridade física, sua vida e de seus familiares. “Eles são responsáveis pela proteção da sociedade no estrito dever de garantir o cumprimento da ordem prisional aos delinquentes e a organizações criminosas. Diante destes serviços de alto risco, são alvos constantes de ameaças, assim sendo, é insensato deixá-los desprevenidos e à mercê destes delinquentes”, destacou.

    Ressaltou que este é um momento em que os agentes penitenciários de todo o Brasil lutam pela derrubada do Veto ao PLC 87/11, que concede o porte de arma de fogo fora do ambiente de trabalho, e o Movimento pela Vida do Agente Penitenciário, está desenvolvendo uma série de ações e uma delas é um acampamento em frente ao Congresso Nacional em defesa de suas vidas, afinal essa atividade tem reflexos perversos que vão além dos muros da penitenciária.

    • Porte de arma para agentes penitenciários é aprovado na Assembleia Legislativa

    Deixe seu comentário...

    Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros, o aviso serve em especial aos que utilizam ferramentas de postagens oclusas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da maquina de origem, como já ocorreu.

    Fones para contato: (69) 3521 4973 | 9256 3747 Email: atendimento@jaruonline.com.br